↰ voltar ao início

tmergulhao/blog


Thomas-son

vestígio de uma arquitetura passada; mantido e inútil

Além das camadas de tinta, estruturas são sobrepostas no cenário arquitetônico. Como num desenho técnico, certos traços são mais definitivos e sobrevivem o esforço de remoção. Portas, janelas, grades, corrimãos, paredes, azulejos, varandas etc fazem parte dos resquícios das construções feitas para durar.

Um exemplo disso foi o modernismo;, os seus conceitos de concreto construíram Brasília. A limpeza do branco e das curvas faz com que pequenas alterações se tornem grandes verrugas. Algumas dessas imperfeições são rapidamente removidas mas, em lugares menos favorecidos, passam a compor o dicionário de expectativas arquitetônicas.

A arquitetura do resquício e abandono faz parte do cenário do Distrito Federal, principalmente nas cidades satélites e locais marginalizados. A parte de trás do comércio da W3 é uma fina crosta de favela no meio da cidade, pequenos abandonos e demolições, algumas reformas mal estruturadas e não autorizadas. Outros cenários como Vicente Pires, Ceilândia, Vila Planalto e vários monumentos da República estão adornados com esses pequenos símbolos do que foi esquecido.

Thomasson é o nome do jogador de baseball cujo trabalho inspirou o artista japonês Akasegawa Genpei. O esportista sequer marcava um ponto para seu time no entanto mantido, notoriamente, inútil.

Fotos a seguir por Tiago Mergulhão e Diego Flauzino.

Year Walk

Year Walk

Year Walk

Year Walk

Year Walk

Referências